Vale a pena contratar um seguro viagem para viagens curtas?

Que todo mundo gosta de viajar isso é fato indiscutível, porém, são poucas as pessoas que conhecem o seguro viagem — e muitas vezes isso pode fazer uma grande diferença naqueles momentos inesperados.

Viajar é sempre bom, não é verdade? Pode ser para a Europa, Japão ou até mesmo aqui, no Brasil. Conhecer pessoas e ter novas experiências é sensacional. No entanto, como não estamos sempre no controle dos acontecimentos, algumas vezes podemos ter inconvenientes, os quais podem estragar completamente o passeio.

Perdeu o cartão de crédito? Foi roubado logo ao desembarcar no país de origem? Tropeçou e quebrou os dentes da frente enquanto estava visitando o Louvre? São cenários raros, mas prováveis. Um seguro viagem não vai impedir que você tenha uma queda durante seu passeio, mas vai ajudar a reparar os danos.

Ficou interessado? Aprenda um pouco mais sobre o assunto.

O que é um seguro viagem?

Um seguro viagem é o seu “Julius” da segurança. Prendeu o dedo na porta enquanto estava viajando? Ele vai estar lá. Suas bagagens foram extraviadas? Ele vai estar lá também.

contratar seguro viagem

Dessa forma, ao contratar um seguro para sua viagem você terá um pacote de garantias — de acordo com o plano — para resolver vários inconvenientes. Isso simplifica bastante sua vida em momentos de desespero, principalmente quando a empresa contratada é boa no que faz.

Veja uma pequena lista do que um seguro viagem pode cobrir:

  • Despesas médicas e odontológicas, desde que não possua a doença antes da viagem;
  • Transporte para atendimento médico ou de seu corpo, em caso de óbito. Embora pode parecer algo simples, transportar um cadáver pode ser um problemão para a família do viajante, devido a inúmeras burocracias;
  • Regresso sanitário para quando houver a necessidade de retornar à pátria para cuidados médicos;
  • Morte em viagem — é bom para quem vai mergulhar com tubarões ou praticar esportes radicais;
  • Cobertura de invalidez parcial ou permanente durante a viagem.

Existem milhares de outros inconvenientes que um seguro viagem pode cobrir. Você pode escolher a melhor cobertura no momento da contratação do plano.

Existe a necessidade de um seguro viagem?

A resposta para essa pergunta é sua. Nosso trabalho é apenas de informar sobre as vantagens e desvantagens de adquirir um seguro viagem.

Você pode realizar viagens para fechar negócios, entretenimento ou simplesmente relaxar. No entanto, não podemos prever o que vai ou não acontecer conosco no dia de amanhã e é justamente para isso que serve os planos de seguros para viagens.

Muitos países como os EUA, Alemanha e demais destinos costumam não oferecer plano de saúde público para pessoas sem nacionalidade. Dessa forma, o valor do atendimento médico, a diária do hospital e assim por diante virão integralmente para você pagar.

Nos EUA, por exemplo, uma pesquisa chamou bastante atenção em 2017. Em média, um dia de internação no país norte-americano custa cerca de US$ 2.157. Na cotação atual do dólar (R$ 5,49 em 31/08/2020), isso significa R$ 11.841,93 por dia de internação.

Note que com apenas 3 dias internado sua dívida já passaria dos R$ 35 mil. Existem contratos de seguro que te dão cobertura de até R$ 200 mil e os valores de contratação são muito acessíveis.

Alguns valores para seguro viagem internacional giram em torno de R$ 100. O motivo disso é que as empresas de seguro trabalham com estatísticas de acidentes e sabem que na maioria dos casos nada dará errado. Porém, e se o seu for justo aquele que tiver um inconveniente maior? É melhor ficar prevenido e viajar com tranquilidade.

E para viagens curtas?

Quando o viajante pretende realizar apenas viagens curtas, ele fica em dúvida sobre se deve ou não contratar um seguro viagem. De fato, ficar 2 ou 3 dias fora do país pode não oferecer muitos riscos, e deixar o seguro de lado parece uma boa opção.

No entanto, é importante lembrar que o seguro viagem é obrigatório em muitos países de destino, e se você chegar lá sem ele, há uma grande chance de ter que voltar. Checar se o país que pretende visitar exige esse documento é imprescindível, principalmente na Europa.

Outro ponto importante é sobre ficar sem suporte quando algum problema aparecer. Mesmo pessoas acostumadas a viajar podem se enrolar quando há extravio de bagagens, por exemplo.

O problema é ainda maior quando falamos em países estrangeiros. Por não ter nacionalidade, grande parte dos serviços públicos não estão à sua disposição e até a comunicação pode ser um grande desafio.

Como as empresas que oferecem o serviço de seguro lidam com isso o tempo todo, elas sabem como agilizar os processos, encontrar informações importantes, quais telefonemas devem fazer e assim por diante. Esse tipo de serviço realmente evita muitas dores de cabeça para você.

Podemos concluir, sem sombra de dúvidas, que contratar um seguro viagem é uma ótima opção, mesmo que você não vá sair do país. Os preços são baixos e os benefícios podem salvar a sua vida — literalmente.

Avalie